Vivenciamos uma grande revolução industrial, onde os avanços tecnológicos e científicos se sucedem e têm um impacto global.

Publicidade

Estamos numa época em que as mudanças económicas e sociais acontecem num ritmo acelerado pela pandemia. A maioria destas mudanças são lideradas por empreendedores, que conseguem identificar um problema e transformá-lo numa oportunidade. São esses loucos e persistentes que não têm medo de arriscar para terem a oportunidade de mudar o futuro e fazerem nascer projetos com impacto na vida das pessoas.

A cultura empreendedora está cada vez mais presente na nossa sociedade, devendo ser cada vez mais promovida e incentivada, porque é ela o grande motor da nossa economia, principalmente na actual transformação digital.

O empreendedorismo começa a estar presente na educação, em diversos níveis de ensino, mas principalmente nas universidades, onde muitas se destacam por apostarem nesta vertente com a criação de incubadoras de startups e uma forte ligação com o meio empresarial.

Um dos aspectos desta mudança é a preparação para encontrar dificuldades e a qualquer momento enfrentar riscos, tentando assustar o medo de errar, de forma que, quando isso acontecer, seja um momento de aprendizagem. A ausência de erros no empreendedorismo é, na maior parte das vezes, sinónimo de carência de inovação e de risco, por isso mesmo, deve ser encarada de uma forma mais positiva.

Ser empreendedor está ao alcance de todos, é uma atitude e uma busca por novas ideias, ter iniciativa, ter ação, sempre pensando de forma diferente. São esses aspetos que contribuem para uma sociedade melhor, onde todos podem participar ativamente na mudança.

O interesse crescente pela cultura empreendedora está a mudar mentalidades, mostrando novas realidades e abrindo caminhos que nunca antes foram explorados.