Nos últimos anos o empreendedorismo tem crescido a um ritmo elevado, é cada vez mais comum falar-se em startups e incubadoras como motores de desenvolvimento económico e social de regiões ou países e nunca fez tanto sentido como agora, em plena crise.

Publicidade

O empreendedorismo é um dos principais fatores de criação de emprego e inovação, sendo neste momento a melhor forma de combater a crise económica provocado pelo Covid-19, com a criação de uma campanha de promoção do empreendedorismo de forma a incentivar a criação de novos negócios e a atitude empreendedora na sociedade. Como costumo dizer, empreender não se trata necessariamente da criação de um negócio, mas ter iniciativa e audácia. Pessoas de todas as idades possuem sonhos, o caminho pela conquista desses sonhos é o que determina ser uma pessoa empreendedora.

Os empreendedores sempre foram aqueles que mudaram os conceitos económicos, ultrapassando barreiras sociais e culturais, criando oportunidades nas mais diversas áreas. Por esse motivo, acho que a promoção do empreendedorismo de forma generalizada na sociedade é a melhor forma de enfrentar esta crise e transformá-la numa oportunidade para criação de novos negócios inovadores.

Uma das principais características de um empreendedor é a sua motivação e a capacidade de arriscar em algo que acredita. Não se contentando em ser mais um na multidão, o empreendedor é apaixonado pelo que faz e está constantemente a trabalhar para deixar uma marca na sociedade. Este é um motivo para que o Estado crie condições de forma a que seja incentivado o surgimento de novas empresas através de medidas especiais, que podem passar pela redução de taxas de registos de empresas ou marcas durante um determinado período de tempo e pela aceleração dos respetivos processos.

Neste momento é importante promover o desenvolvimento de competências empreendedoras na sociedade, um caminho onde a educação permanente nessa área é essencial em todos os níveis do ensino básico e secundário. Já deviam ter sido implementados programas educacionais onde o empreendedorismo entra como disciplina universal, conseguindo dessa forma um impacto e abrangência generalizada na população.

Uma cultura empreendedora ativa pode ser aplicada na transformação das pessoas, mostrando que a partir do momento em que está a criar uma solução que irá ajudar outras pessoas, está, dessa forma, a empreender e isso pode ser aplicado nas mais diversas situações. O empreendedorismo é, na minha visão, a melhor vacina que temos neste momento para combater a crise económica em que vivemos e uma nova oportunidade para o nosso país criar valor e ter uma sociedade cada vez mais inovadora e desenvolvida, de forma a gerar riqueza abrangente que gere bem-estar.