Nas últimas semanas houve um grande crescimento das lives, transmissões de vídeo em directo nas redes sociais, virou moda em todo o mundo.

Publicidade

As lives estão presentes nas principais redes sociais e em várias plataformas online há vários anos, tinham algum sucesso entre os adolescentes, mas devido ao isolamento social provocado pelo covid 19, tiveram um grande impulso na generalidade dos públicos.

Os vídeos em directo multiplicam-se pelas redes sociais, tornando-se comum haver lives a qualquer hora do dia, com os mais diversos objectivos, desde da partilha de conhecimentos, publicidade de serviços, entretenimento e espectáculos ao vivo de música.

Em Portugal, as lives de maior sucesso estão relacionadas com o entretenimento, promovidas principalmente por influenciadores digitais, comediantes, actores, apresentadores de televisão, onde se destaca o “Como é que o Bicho Mexe” momentos de conversas com vários convidados da autoria do comediante Bruno Nogueira, que acontece de Segunda a Sexta no seu Instagram (@corpodormente) ao final da noite apresentando audiências de mais de 70 mil pessoas em simultâneo .

No Brasil, as lives bateram recordes de audiência, onde o principal factor impulsionador são os concertos, os famosos shows online, principalmente de artistas de estilo sertanejo, onde se destacou a última live solidária do cantor Luan Santana, que aconteceu no passado domingo e teve a duração de 8 horas e uma audiência de mais de 1,6 milhões de pessoas em simultâneo e vista por mais de 15 milhões no final.

Outros sucessos comuns um pouco por todo o mundo, são as transmissões em directo de partilhas de conhecimentos dos mais diversos assuntos, muitos profissionais utilizam as lives para partilhar conteúdos gratuitos e ajudar outras pessoas, aproveitando para promover os seus negócios.

As lives vieram para ficar neste mundo novo cheios de desafios, são sem dúvida uma oportunidade a ter em conta para a divulgação de uma marca, por via de patrocínio de uma live ou por iniciativa própria.