Devido ao Coronavírus, vivemos a maior experiência de trabalho remoto de sempre que vai ter um impacto na sociedade e no mercado.

Começou na China e espalhou-se por todo o mundo, a pandemia Covid-19 está a causar uma grande preocupação pelos efeitos que está a ter na saúde e na economia. Para reduzir o impacto na sociedade, muitos governos estão a tomar medidas de prevenção, que em alguns países com maior incidência do vírus, passa por evitar aglomerações em ambientes fechados ou quarentena da população.

Estas medidas levam a que fechem escritórios e serviços públicos, fazendo com que o recurso ao teletrabalho seja uma alternativa para manter a actividade de algumas empresas e serviços, algo que já estava a ser utilizado em algumas empresas na área da tecnologia.

Esta experiência de teletrabalho em grande escala, não intencional, esta a ser vivenciada globalmente por centenas de milhões de pessoas, que vão descobrir as suas vantagens e desvantagens e possivelmente, quando passar a crise do coronavírus, será usada com mais frequência globalmente.

O teletrabalho pode ser uma forma de melhorar a vida do trabalhador, aumentando o bem-estar, diminuindo o stress, conseguindo mais tempo livre, diminuir as despesas de deslocação, possibilitando trabalhar sem interrupções e controlar o ritmo do trabalho, são apenas algumas das vantagens para os funcionários. 

Existem também algumas desvantagens, a primeira passa por não ter colegas de trabalho, outra é a dificuldade em separar a vida profissional da vida pessoal atrapalhando a produtividade e falta de uma metodologia, são os principais desafios do teletrabalho.

As empresas vão beneficiar de uma melhor retenção de colaboradores, na redução das despesas com o arrendamento do espaço físico, captar funcionários mais facilmente e em qualquer localização do mundo com acesso a Internet.

O teletrabalho não é adequado para todas as empresas, nem para todos os seus funcionários, é sempre necessário realizarem uma avaliação detalhada antes de recorrem a esta nova forma de trabalho. É claramente uma tendência com muitos aspectos positivos e alguns desafios, quer no ponto de vista de quem emprega quer para o próprio colaborador.