O Governo português vai avançar com um programa de e-residency, um programa de residência digital para empreendedores.

A medida da residência digital vai possibilitar que um cidadão estrangeiro criar e gerir uma startup em Portugal, não necessitando estar a viver no país, como acontece num programa idêntico na Estónia, onde os empreendedores podem administrar os seus negócios completamente online.

Este programa surge como uma das novidades da segunda fase da Estrategia Nacional para o Empreededorismo, a Startup Portugal + e um dos pricipais objectivo para este ano de 2020.

Para alem desta medida, o governo vai reforçar o programa Startup Visa, programa de acolhimento para empreendedores estrangeiros que pretendam desenvolver projetos capazes de potenciar dinamismo na criação de startups, Tech Visa, programa atração de quadros qualificados para virem viver em Portugal, Startup Voucher, uma bolsa mensal para jovens entre os 18 e 35 anos desenvolverem negócios e continuar a promover e a desenvolver a Rede Nacional de Incubadoras.

Todas estas medidas servem para destacar Portugal como um dos principais polos de empreededorismo na Europa.