Publicidade

O empreendedorismo na Europa está em plena transformação onde cada vez mais prolifera startups de grande sucesso à escala global que apostam muito na inovação.

O velho continente está a rejuvenescer em relação ao empreendedorismo com uma série de iniciativas que ajudam no desenvolvimento da cultura empreendedora por toda a Europa. Uma estratégia iniciada com mais foco pela Comissão Europeia desde dos anos da crise com um forte investimento em programas de incentivo e linhas de financiamento que permitiram aumentar a criação de novos negócios.

Mesmo com o crescimento dos incentivos na União Europeia apenas 37% da população gostariam de trabalhar por conta própria em comparação com 51% das pessoas nos Estados Unidos e na China. Isso acontece devido à falta de formação em empreendedorismo, que continua a não estar presente nas escolas, e no difícil acesso a financiamento privado e muito ao receio em falhar, que ainda é um factor muito punitivo, ao contrário no que acontece nos Estados Unidos.

Considero a formação empreendedora essencial para o desenvolvimento de uma sociedade, que deve ser implementada desde o ensino básico para uma transformação mais abrangente. Nesta perspectiva, existe o plano de ação, Empreendedorismo 2020, lançado pela Comissão Europeia com o objectivo de relançar o espirito empresarial na Europa, desenvolvendo a formação em empreendedorismo, criando mais oportunidades para negócios promovidos por mulheres, pessoas mais velhas, migrantes e por famílias. Este plano pretende também facilitar os requisitos administrativos.

Um dos programas de maior sucesso na Europa é o Erasmus, um plano que facilita a mobilidade do ensino superior dos estudantes e professores fomentando a cooperação entre universidades. Inspirado neste programa, foi criado o Erasmus for Young Entrepreneurs, que pretende promover o intercâmbio europeu de Empreendedores. Financiado pela Comissão Europeia, têm como objectivo ajudar novos empreendedores ou aqueles que pretendem sê-lo de forma a que possam adquirir competências para começar ou gerir com êxito uma startup na União Europeia.

O programa Erasmus for Young Entrepreneurs é muito interessante, permite a um novo empreendedor viajar para o país do anfitrião (o seu mentor) com apoio financeiro da União Europeia. Nesse país pode estar entre 1 a 6 meses, trocar conhecimentos e colaborar mutuamente com a finalidade de desenvolver a sua empresa com o apoio das entidades locais do programa.

Para além destas iniciativas, é na Europa que se realiza todos os anos em Lisboa o maior evento de empreendedorismo do mundo, o Web Summit, que conta com a participação de mais de 70 mil pessoas e mais de 100 startups em exibição. É também na Europa, em Paris, que esta sediada a maior incubadora de startups, a Station F, que acomoda cerca de 1000 startups e possui 34000 metros quadrados, 8 auditórios e 26 programas de acompanhamento para startups. O empreendedorismo na Europa tem ainda vários desafios pela frente, mas está no bom caminho para continuar a crescer.